Roupa de Trabalho

Joan Crawford fez muito papel de mulheres executivas e para reforçar o visual de poder foram criadas para as personagens as ombreiras femininas.

Mas foi preciso muito mais do que isto para colocar a mulher no mercado de trabalho no século Vinte.

Elas queimaram sutiãs na década de 1960 como protesto por melhores salários, vestiram as roupas masculinas do estilo unissex nos anos 1970 para galgar cargos executivas e portar poderosas ombreiras nos 1980 para consolidar a sua importância no mercado.

As profissionais femininas souberam usar a maneira de vestir como um cartão de visitas para abrir portas e registrar conquistas.

Joan

Estilo profissional

Competência é o que interessa, mas o jeito de vestir soma pontos na carreira profissional.
Um guarda-roupa com peças adequadas e de boa qualidade não é vaidade, mas também uma ferramenta de trabalho que categoriza o profissional.
A roupa pode não fazer o monge, mas o ajuda a conquistar os locais sagrados. Se você quer ser uma pessoa de sucesso, tenha a aparência de uma pessoa de sucesso.
Qualquer um pode controlar a aparência em benefício próprio.
Encare a roupa como uma forma de exibir conceitos e códigos de valores. Muitas empresas possuem políticas internas em relação as vestimentas e investem em cursos para a atualização visual de seus executivos.

A roupa de trabalho e a moda

A chamada roupa de trabalho é diferente das escolhas para o final de semana ou lazer, onde incluir toques de moda é obrigação.
A roupa profissional tem a tarefa de passar o conceito da empresa e um depoimento da pessoa que esta usando.
Mas nem pense em vestir roupas caretas ou azul-marinho todo o tempo. Conforme dados das empresas RH de seleção profissional, vestir roupas discretas ou muito tradicionais no trabalho podem vender uma imagem falsa e muito conservadora.
Porém, liberdade significa responsabilidade, portanto mesmo com o casual ditando algumas regras, na hora de vestir para trabalhar, o bom senso sempre valoriza o currículo.
Como no ditado romano: “A mulher de César não basta ser honesta, mas também parecer honesta”.

multitasking-woman-at-work

Profissionais modernas

A maneira de vestir reflete a personalidade dos profissionais

Encare

• Aposte nos básicos modernos, peças combináveis entre si, tecidos que não amassem e nem atrapalhem os movimentos, até o jeans em versões mais sofisticadas, malhas de lã e linha, camisetas e camisas em muitos formatos e tecidos, paletós e jaquetas, nem clássicas e nem esportivas.
• Peças práticas, econômicas e versáteis, que não interfira no estilo individual e tipo de trabalho.
• Adote tendências com critério, sem carregar na sobriedade e nem escorregar nos exageros
• Tempo é dinheiro. Invista em roupas que enfrentem qualquer ocasião e dispensem o ferro de passar.
• Aprenda a avaliar se o que mostram as vitrines de moda de fato combinam com o tipo físico e ambiente de trabalho.
• Roupas clássicas de boa qualidade duram até cinco anos impecáveis e por isto valem o preço.
• Vista-se para se sentir confortável, apreciada e adequada. Opte por roupas que priorize versatilidade e não só a beleza.
• Profissionalmente, sempre é melhor chamar a atenção pela elegância do que pela ousadia ou irreverência.
• Prefira cores discretas, neutras e sem estampas marcantes e também peças ou conjuntos inteiros, fáceis de vestir e melhor para combinar.
• Imprima as tendências da moda nos acessórios e use roupas básicas fáceis de portar e econômicas na manutenção
• Use sapatos confortáveis e com saltos médios ou sandálias mais fechadas.
• Se você lida com o público, sua imagem deve comunicar eficiência e gentileza (roupas básicas, poucos complementos). Se trabalha num escritório de advocacia ou em outro ambiente sóbrio, sua imagem pede maneiras discretas e roupas mais formais. Agências de publicidade, empresas de marketing, o mundo da moda e escritórios de arquitetura permitem trajes criativos e aceitam estilos mais ousados.
• Para negociar com clientes conservadores, um tailleur ou roupa escura e acessórios discretos transmitirão seriedade e segurança. Já a apresentação de um projeto inovador pede roupas de corte moderno, cores fortes e acessórios inventivos para imagem e idéia não colidirem.
• Para se adaptar a ambientes mais sóbrios, as mais jovens podem dar um toque nas roupas básicas, inventando combinações inéditas e usando acessórios leves e coloridos. De modo geral, quem escolhe peças básicas para trabalhar pode imprimir o tom de cada estação aos acessórios, mas não deve exagerar nos complementos.
• Vista-se para sentir-se confortável, de maneira adequada à imagem de sua empresa.

Perigo

• Explorar tendências modernosas na roupa de trabalho. Estar na moda é menos importante que representar bem o seu negócio, a não ser para profissionais do setor “fashion”.
• Excesso de produção que podem comprometer o conforto e a imagem profissional.
• Trajes exóticos ou excessivamente descontraídos, destoando do ambiente.
• Sobrepor cores ou estampas em uma aquarela que pode cansar.
• Usar justos, curtos, transparências, fendas e decotes. Discrição no trabalho não é apenas recomendável, mas imprescindível.
• Roupas que envelhecem o visual ou muito Lolitas.
• Cuidado com detalhes ou estilos que não combinam com nenhum tipo de trabalho decente: Lingerie aparecendo, saltos altíssimos, bainhas malfeitas, roupas manchadas ou amassadas, muita maquiagem ou cara lavada, cabelos maltratados, unhas muito longas ou malcuidados, perfume demais, meias desfiadas, minissaia, bermudas, sapatos bolsas e cintos em mal estado, excesso de bijuterias, brilhos e roupas que “marquem” as formas.
• Para ser levada a sério, a profissional feminina não precisa vestir-se de homem, mas é bom deixar para os embalos de sábado à noite, os decotes audaciosos, as minissaias, as roupas colantes e os saltos estilete, a não ser que seu trabalho exija roupas sedutoras.
• Excesso de produção não combina com o visual de um profissional e pode comprometer o seu conforto.

gg60632595

A mulher executiva

• Mesmo a moda clássica das executivas acompanha as mudanças no comportamento. Com a valorização do corpo, as formas ajustadas trazem saias sensatas, na altura do joelho, e paletós mais acinturados.
• Um bom blazer é indispensável. Pode ser usado sobre uma saia, calça ou vestido. Roupas mais entreteladas, de linhas rígidas (como o blazer), impõe autoridade, e ombros com enchimento assinalam que você é capaz de assumir responsabilidades.
• As cores claras são energéticas, mas as escuras tradicionalmente projetam uma aura de poder.
• Para a mulher que ocupa posição de destaque, a roupa clássica é sempre a grande solução. Mas não confunda clássico com antigo: o estilo vale sempre, mas deve ser renovado e atualizado.
• Austeridade demais também pesa. Amenize, jogando acessórios ou desmembrando o tailleur com novas parcerias. Lembre-se: os acessórios e complementos podem ser arrojados, mas a peça principal deve ser comportada.
• Se o seu trabalho permite, use e abuse das calças. Elas escondem e insinuam as pernas e, usadas com paletó e camisa aberta, são modernas e discretas.