Vista-se como Jackie

 A mulher mais bem vestida do mundo

Segundo Hamish Bowles, editor de moda da revista Vogue, Jackie foi um dos maiores ícones de toda a história da moda. “Ela teve, e ainda tem, profunda influência sobre a maneira como toda uma geração gostaria de se vestir e até de se comportar”

As mulheres queriam ser como ela.

Não era uma mulher belíssima, mas era estilosa e sabia como poucas usar o que tinha.

Tudo que ela usava virava moda. Os óculos escuros grandes são até hoje conhecidos como óculos estilo Jackie.

O vestido que usou para se casar com Onássis foi um dos trajes de casamento mais copiados do mundo.

Jackie Kennedy foi a primeira a compreender a moda como um poderoso veículo de comunicação.

A elegância de Jackie Kennedy está sendo celebrada por mulheres poderosas como Melania Trump, que não esconde sua admiração por Jackie

Até Carla Bruni, quando era primeira dama da França também usou Jackie como inspiração.

Em 2008, Carla Bruni fez sua primeira visita de Estado como Madame Sarkozy ao Reino Unido usando um chapéu no estilo pillbox, deixando muito claro de onde veio a influência.



Embora já tenha morrido, Jacqueline Bouvier Kennedy Onassis continua viva como referência de estilo e elegância

A cada aparição, a mais famosa das primeiras-damas dos Estados Unidos extrapolava estilo sem desprezar a discrição que pede o papel de mulher de chefe de Estado.

Ela escolhia até as cores como marketing. Em uma visita à Índia fez um guarda roupa coloridíssimo para que pudesse se destacar mesmo na multidão. Escolheu uma paleta de cores inspirada nas miniaturas de Mughal.

Elevou a linha de cintura das roupas para aparentar pernas mais longas entre outros truques para idealizar uma imagem inesquecível.

E conseguiu!

Bem nascida e naturalmente elegante Jackie glamourizou  seus anos de Casa Branca e fez as mulheres do mundo copiarem seu estilo pessoal.

Tudo que ela usava virava moda. Os óculos escuros grandes são até hoje conhecidos como óculos estilo Jackie.

O vestido que usou para casar com Onássis foi o traje de casamento mais copiado do mundo.

No visual era clássica, mas imprimiu tanta personalidade no vestir que reconhecemos ela em muitos itens do vestuário.

E o seu estilo permanece chique até hoje.

Jackie Kennedy eternamente elegante

Comenta-se que Jackie Kennedy tinha as pernas levemente arqueadas, mas garanto que nunca ninguém notou.

Com tanta classe e estilo, e uma enorme percepção para moda, Jackie será sempre lembrada como uma mulher de estética e figurino impecável.

Estive na exposição do Metropolitan Museum em Nova York, que mostrou mais de cinquenta figurinos usados por ela durante o período na Casa Branca.

É impressionante a atualidade das roupas e fica visível a inteligência aguçada da primeira dama americana que pela primeira vez na história usou a roupa como imagem, colaborando para o sucesso político do marido, John Kennedy.

O requinte era tanto que os figurinos criados para visitas oficiais em outros países era meticulosamente arquitetado para tirar o máximo proveito na mídia.

Mas a elegância não é ao acaso.

Jackie tinha sangue francês nas veias, sabia a força que uma roupa pode ter e se assessorou com os melhores costureiros franceses da época (Givenchy, Karl Langerfeld para Dior, Paco Rabanne entre outros).

Quando o sindicato da indústria do vestuário americano começou a chiar por a primeira dama só aparecer usando só roupas importadas, Jackie resolveu a parada contratando os serviços um costureiro franco- americano Oleg Cassini que criava também modelos sugeridos por ela ou na cara dura copiavam originais franceses, como é mostrado na exposição. 

Impecável cópia

Os genéricos de Jackie

Jackie tinha verdadeiros Chanels, mas já tinha copiado roupas de costureiros famosos em outras oportunidades, sempre com a assinatura-aval do costureiro franco-americano Oleg Cassini.

Era comum muitas mulheres copiar os grandes costureiros, já que na época não existia o prèt-â-porter e a alta-costura era muito exclusiva e cara.

O original em laranja é de Karl Langerfeld para  Jean Patou (março de 1962) e o genéricos é assinado por Oleg Cassini e chamado de “México”

O original era de Hubert de Givenchy (Spring Summer 1962- model number n° 3786) e o genérico usado em um jantar em homenagem ao presidente da Costa do marfim

O estilo Jackie

Se você se identifica com o estilo dela copie já.

A moda da era Jackie anda flertando com as passarelas e ela é sem dúvida ela uma referencia para se copiar sem medo de errar.

Mandamentos de estilo de Jackie Kennedy

É inegável que Jackie Kennedy foi o padrão de elegância dos anos 1960, sendo copiada pela maioria das mulheres da época e atualmente.

Detalhes marcantes

 Óculos escuros gigantes

Jackie Kennedy adorava um par bem enorme de óculos de sol.

Dizem as biografias que a primeira-dama guardava vários dentro de uma grande taça, perto da porta da frente de casa, e pegava sempre um ao sair.

É o acessório é ideal para deixar o visual sofisticado e Jackie parecia saber bem disso.

Colar de pérolas

Marca registrada da maioria das divas do anos 1960, mas em Jackie tinha um brilho especial ao usar com três voltas – um maxi-colar de pérolas que, nas palavras dela, sempre caem bem.

Echarpes  de seda

Jackie sabia como usar lenços com personalidade com laços, nós e drapeados.
Fã da marca Hermés, elas os usava, em especial, com um nó abaixo do pescoço e escondendo bem os cabelos, em looks mais informais.

Corte Chanel repicado

Um corte que deixava seu cabelo impecável em qualquer situação

Chapeu Pil-Box


Chapéu pillbox ou abas viradas usados na parte de trás do crânio.

Tons de Jackie

Suaves como o azul claro, salmon, verde malva ou cores vivas como o laranja, o verde, turquesa, pink, além de neutros como bege e preto.

Jackie Kennedy adorava roupas claras e de corte reto. Usava salto baixos ou sapatilhas, pois ela era alta.

Jackie até usava roupas estampadas, mas  eram discretas.

Ela preferia roupas lisas, mas sempre seguiu a moda  e adotava estampas quando era tendência.

Valorizava seus ombros com mangas cavadas. Foi a primeira esposa de Presidente que mostrou os braços e colo em decotes mais ousados para a função.

Maquiagem discreta

Mas nunca saia de cara lavada. O estilo Jackie pede maquiagem leve.

Os olhos dela eram mais separados do que o normal e ela sabia transformar isto em um charme a mais.

Consciência corporal

Atenção  ao caimento das roupas. Nada de peças muito justas ou muito largas

Ombros marcados por decotes ou modelagens. Ela explorava muito a linha dos ombros e pescoço.

Mangas ¾ usadas geralmente com luvas brancas

Casacos e cinturas mais altas, saias levemente evasé e cobrindo os joelhos

Botões graúdos ou trabalhados, muitas vezes como detalhe principal.

Mistura do clássico e casual

Acessórios sem exagero

Casual chique

Após a morte de John Kennedy, assassinado em 1963, Jackie casou-se novamente, desta vez com o milionário Aristóteles Onassis, e adotou um guarda-roupa mais casual. Porém, sempre elegante.

“A Thousand Days of Magic: Dressing Jacqueline Kennedy for the White House”

No vídeo abaixo imagens  do livro “A Thousand Days of Magic: Dressing Jacqueline Kennedy for the White House”, de Oleg Cassini, que foi lançado durante a  exposição ” Jacqueline Kennedy:The White house years” que aconteceu no Metropolitan Museum em Nova York.

A única peça que não foi exposta foi o tailleur Chanel rosa usada no dia da tragédia em Dallas, por motivos óbvios

de segurança