O valor de um vestido

 O vestido mais caro da história é o pretinho de Givenchy usado por Audrey Hepburn no filme “Bonequinha de luxo”.

O vestido foi leiloado em 9 de dezembro de 2006 por US$ 807 mil na Christie’s, em Londres.

O comprador do vestido de Audrey (na verdade, da personagem Holly Golightly) não se identificou. Proprietários do vestido, a família Lapièrre decidiu leiloar o vestido para arrecadar fundos para o grupo de caridade “City of Joy Aid” na Índia.

audrey-hepburn-breakfast-at-tiffanys-gown-dress-givenchy-christies

Sem atingir estes valores astronômicos qualquer mulher sabe o valor de um vestido, especialmente no calor. Vestidos refrescam e são muito admirados pelos homens.

Mas o vestido só se tornou feminino depois do século XII. Antes disto, a modelagem tubular também vestia os homens. Algumas culturas como as orientais, africanas, do Oriente médio e da América do Sul e também o clero (Papa, Bispos) continuam usando vestidos até hoje em rituais ou no exercício da religião.

O vestido, antes uma túnica larga só modelou ao corpo depois do reinado de Luis XV se ajustando a silhueta feminina.

No exterior vestido se chama “Robe”. O nome surgiu com os amigos do alheio. Desde a queda do império romano até o século XIII, “robe” significava tudo aquilo que se podia roubar. E os maiores ladrões naquele tempo eram os bárbaros que se deslumbravam com os vestidos suntuosos em tecidos de seda bordados com fio de ouro e pedrarias. Aos gritos de “Rauben, rauben” os bárbaros saqueavam palácios, vilas e igrejas. Os italianos da época acabaram associando a atitude com o nome dos vestidos.

Outra curiosidade é o vestido de Gala que geralmente é uma categoria que exige vestidos de festa longos cobrindo os pés. Esta derivação vem de “Vestido de Gaulle”, uma espécie de vestido de musseline, muito longo e solto como uma camisa usado pelas mulheres das Antilhas e que se tornou moda na metrópole nas vésperas da revolução francesa.

Seja qual for a historia, adote o vestido

Neste verão existem muitas modelagens nas lojas permitindo que a consumidora possa usar esta peça do vestuário para valorizar o corpo.

Vestido certo

Muito busto

  • Use decote alto e linhas retas que enfatizam os ombros, diminuindo o volume do busto.
  • Evite cintura alta ou alcinhas.

Cintura sem definição

·       Use recortes ou cinto acima da cintura. Ajuda a marcar a cintura.

  • Evite vestidos apertados na cintura e quadris.

Corpo de garoto

  • Use decotes em “V” abertos e drapeados formando volumes e sugerindo contornos mais arredondados ou vestidos estampados.
  • Evite modelagens justas ao corpo e sem detalhes.

Estômago saltado

  • Use vestido com corte império, abaixo do busto, caimento reto ou chemise.
  • Evite tomara que caia ou modelos acinturados.

Peso ou quadris a mais

  • Use vestidos soltos, sem mangas ou regata, em tecidos macio, um só tom escuro ou neutro e decote em “v” pronunciado.
  • Evite vestidos justos, alcinhas finas, muito coloridos ou decotados.

Pequena

  • Use vestido tubinho curto. Alongam as pernas e o tronco
  • Evite modelagens volumosas, longas ou com muitas cores.

desenhos:Xico Gonçalves