O Tule é o tecido da hora

Pode ser difícil desassociar o tule a grandes vestidos de casamento ou de red carpets do Oscar, mas ele também tem capacidade de dominar o mundo da moda.

how_to_wear_a_tulle_skirt

Seja no street style ou nas passarelas, o tecido é o queridinho da vez há muitas temporadas.

No desfile da Dior de 2017 só deu tule

 

Versão menos açucarada do tule

Repaginado, o tule apareceu em versões diferente daquelas que fazem parte de contos de fadas.

Estamos habituadas a ver o tule em vestidos de noiva ou de noite juntamente com rendas e bordados. Mas hoje em dia o tule já não sugere algo tão formal. Veja como combinar peça de tule.

A origem do tule

tuleTule

O tecido surgiu nos anos de 1700 na cidade francesa de Tulle.

Sua leveza e transparência dão ares de mistério e realeza, transformando um simples vestido; sem muitos atrativos; num modelo arrasador.

Também conhecido como filó, o tule, a princípio, era usado apenas para fazer babados e forrar saias.

As mulheres da Grécia Antiga já usavam suas capas de voile transparentes, fixadas na cabeça com flores de laranjeira, muito parecidas com as mais românticas noivas de hoje.
O tule moderno foi produzido pela primeira vez na Inglaterra depois que John Heathcoat desenvolveu a máquina de bobinete, em 1809.

O que se seguiu foi a moda do chapéu com um véu, usado por senhoras elegantes durante a Belle Epoque (final de 1800) e nascido da criatividade do Inglês F. Worth, um alfaiate da alta sociedade parisiense. A variante em preto se tornou um sinal de luto.

Worth foi quem determinou o sucesso das camadas de tule que, combinadas com a crinolina, adicionaram riqueza e amplitude a saias e vestidos, marcando os primeiros anos do século XX com a preciosidade de elegantes vestidos de noite, roupas íntimas e até cortinas.

Em 1954, o vestido preto e branco usado por Grace Kelly no filme Hitchcock Rear Window” com uma saia ¾ drapeada, inspirada no estilo dos dançarinos, feito com camadas de chiffon e tule, tornou-se um ícone da moda mundo.

O vestido desenhado por Edith Head permanece como um dos trajes mais famosos da história do cinema, bem como um ícone da moda.

Marie Taglioni

Marie Taglioni

A saia de tule surgiu na Era Romântica do ballet, usada em 1832 em Paris.

Marie Taglioni foi a primeira bailarina a estrear esse look, que era mais parecido com um vestido.

Apesar de ter sido considerado um escândalo por ser curtinho demais para época, Marie quebrou o tabu com ousadia e alegria em sua apresentação.

Virginia Zucchi

Virginia Zucchi

Como a dança evoluiu, a saia foi ficando cada vez mais curta, para que as pessoas observassem mais os movimentos das pernas.

Então em 1880, a bailarina Virginia Zucchi foi a primeira a vestir o modelo acima dos joelhos, mais ousadia ainda.

Rainha Victoria

Rainha

O tule ficou famoso quando a rainha Victoria, utilizou o tecido em seu vestido de noiva, em 1840.

A partir daí, tudo o que era associado a decorações e vestidos de casamento, era incluso o tule.

Além disso, ele nunca perdeu a sua forma e o estilo, até os dias atuais