As curvas das mulheres reais

Esqueça a estética das modelos famosas.

Elas são magras para cumprir um trabalho, assim como os jogadores de futebol têm que desenvolver coxas volumosas para chutar a bola.

O padrão magro das modelos iniciou com o desenvolvimento da indústria da moda.

Para facilitar a escala de tamanhos, as modelagens começam a ser montadas na numeração 38 ou 40.

Assim, fica fácil ampliar a partir daí toda a grade de numeração e mostruários menores para caber na mala dos representantes comerciais.
A magreza das manequins também é uma boa estratégia de vendas.
A indústria da moda se deu conta que grande parte das mulheres só se identifica com as magérrimas, mesmo que o seu corpo não tenha o mesmo padrão.
Porém o que deveria ser um dado técnico ou de sedução para confecção dos modelos de roupa acabou como padrão de numeração da moda brasileira.

Quem veste tamanho grande dificilmente encontra itens de moda para comprar.
O segmento fashion ignora os consumidores com manequins acima do 46.

Do outro lado as lojas especializadas em numeração alta nem sempre acompanham as tendências da moda e oferecem produtos que não contribuem em nada para elevar a auto-estima das mulheres deste segmento.
Sem muitas alternativas, o jeito é improvisar comprando em lojas tam G., misturando com o que acha de moderno no comercio tradicional e improvisando com peças masculinas, geralmente bem maiores de tamanho na grade de numeração que a feminina.

Os lançamentos a partir deste inverno 2017 trazem modelagens amplas no estilo “oversized”. O padrão “slim”, que dificultava muitas compras, está com os dias contados em favor de peças mais confortáveis e que vestem bem qualquer corpo.

Como valorizar o seu tipo físico

A roupa serve como uma “ilusão de ótica” para conseguirmos compor uma imagem que nos agrade no espelho.

Elas são desenhadas para todas as formas femininas, tanto que existem numerações variadas da mesma peça.

Não existe roupas “proibidas” para quem é graúda, mas é importante criar um estilo pessoal marcante e um equilíbrio visual elegante.

Listei alguns formatos de mulheres de verdade e o que sempre veste bem em qualquer situação.

Claro que o espelho e o estilo de vida falam mais alto que estas regras, mas minha intenção aqui no blog é criar uma imagem agradável para todas as consumidoras e tamanhos de manequins.

Vestir adequadamente é uma questão de equilíbrio. O dom de saber dosar cores e formatos em busca de uma aparência que agrade a quem nos interessa.

Não importa se você pesa 50 ou 150 quilos. O cuidado com a harmonia do conjunto é o mesmo.

Pense em você como uma obra de arte.

Um quadro pequeno ou um painel que ocupa mais espaço, será bonito e eterno de acordo com as cores e padrões que o artista colocar sobre ele.

Algumas pinceladas certas podem transformar a arte em uma obra-prima.

As sugestões de modelagens que eu listei , não tem a intenção de “emagrecer” ninguém e sim deixar a silhueta harmônica em cada caso.

A moda não precisa de regras, a elegância sim

Formatos Verdadeiros

Mulheres com coxas, culotes ou pernas grossas

O que equilibra esta silhueta

• Saias retas e clássicas.
• Saia longa e confeccionada em tecido fluido, solta sem marcar as linhas, em tons mais fechados .
• Vestidos e casacos levemente acinturados.
• Cintura mais baixa com cintos finos de destaque.
• Camisas e túnicas abertas, soltas com comprimento tapando as nádegas.
• Linhas verticais, cortes evasés, pregas e listras.
• Jogue com cores. A parte de baixo sempre mais escura que a de cima.
• Meias discretas, nunca de fantasia. Opacas escuras, pretas ou castanhas (com boa quantidade de Lycra).
• Combine a cor dos sapatos com as meias. A perna fica linda.
• Sapatos mais pontiagudos. .
• Os saltos dos sapatos não devem ser demasiado finos, mas podem ser altos.

Busto grande

O que equilibra esta silhueta

  • Sutiã forte e de bom apoio, por baixo de peças largas como camisas e paletó.
  • Vestidos de cintura alta
  • Malhas, camisas e paletós soltos, com modelagens que não acentuem o tamanho do busto.
  • Prefira os decotes em bico porque alongam o corpo, em “V” ou “U”, sempre longe do pescoço, alças largas, camisas e blusas desabotoadas até o permitido. Cavas confortáveis ou retas e amplas.
  • Calças e saias de cintura baixa
  • Gargantilhas.

Cintura grossa ou barriga

O que equilibra esta silhueta

• Cintas adequadas para cada corpo que ajuda a atenuar a barriga.
• Ênfase aos ombros e quadris para criar a ilusão de cintura mais fina.
• Tops bicolores com laterais mais escuras.
• Decote ombro a ombro e ombreiras.
• Cintos finos escuros marcando a cintura.
• Lenços, colares e detalhes na linha dos ombros.
• Casacos ou blazers abaixo dos quadris, não muito justos, para disfarçar o volume da barriga. • Calças e saias de cintura baixa.
• Vestidos com corte abaixo do busto, saias mais curtas. Saias pregueadas ou plissadas.
• Batas, vestidos soltos ou túnicas que não marquem a barriga.

Quadris largos

O que equilibra esta silhueta

• Valorize a parte do tronco.
• Tecidos de texturas pouco grossas, nunca volumosas como tweed.
• Tailleur ou terninho com bainha abaixo dos quadris.
• Calças e saias feitas com tecidos fluídos, mas firmes, justas ou com volume (pregas funcionam melhor que o godê).
• Calças retas sem pregas e nem detalhes, soltas ao corpo afunilando suavemente em direção a bainha. Preferência para cores escuras.
• Saias mais longas e de corte enviesado. Blusas e túnicas que cubram os quadris.
• Malhas fininhas escuras ou neutras amarradas sobre os quadris.
• Decotes amplos, xales e colares importantes que atraiam o olhar para a parte de cima do corpo.
• Ombros e peças estruturadas na parte superior do corpo.

Tornozelo grosso

• Botas de cano alto. Quanto mais pesado for o sapato, menor vai parecer o tamanho do tornozelo.
• Aposte nas plataformas, botas e meias escuras.