E La Nave Va

A Chanel aportou um navio na coleção Cruise 2019

Ao invés de levar seus convidados para uma viagem, o Cruise da etiqueta trouxe a viagem para dentro do Grand Palais, em Paris.

O desfile que aconteceu no dia 3 de maio de 2018 fez com que seus convidados viajassem sem sair do lugar.

O cenário do desfile era um navio gigantesco

Está no DNA da Chanel essa relação com o guarda-roupa de viagem de verão.

Gabrielle “Coco” Chanel criava peças para as suas clientes que viajam para Biarritz.

Quando Gabrielle Chanel criou, em 1919, uma coleção especial de roupas para a temporada de férias de verão, o conceito de “cruise collection” ainda não existia.

O desfile, que acontece uma vez por ano sempre entre os shows de prêt-a-porter e alta-costura, costuma ser em lugares paradisíacos. Depois de Cuba, Coréia, e Dubai, o desejo do diretor criativo da maison era apresentar suas peças em um cruzeiro em alto mar.

Como não encontrou nenhum que fosse perfeito para a sua ideia, resolveu criar seu próprio navio em pleno Grand Palais.

CHANEL Cruise 2019

Noventa modelos  mostraram a coleção Cruise 2019

Entre as principais propostas uma volta aos anos 1980.

Para quem estava cansado da seriedade 90’s, a coleção trouxe um frescor de diversão e fantasia para a passarela.

Esses toques aparecem, é claro, nos acessórios intencionalmente literais (bolsa boia, boina de marinheiro e por aí vai) e também nos shapes: mangas arredondadas e calças baggy.

Na primeira fila, celebridades como Kristen Stewart e Lily-Rose Deep dividiram os flashes com Margot Robbie, a mais nova embaixadora da grife – nomeada durante a última premiação do Oscar.

Na passarela, clássicos da maison diretamente das raízes de mademoiselle Gabrielle.

As listras, o decote canoa, a manga 3×4, são códigos adquiridos por Coco Chanel a partir desse lifestyle resort, quando passava temporadas em sua casa de praia batizada de La Pausa – nome dado também ao navio e ao mood da coleção.

Destaque para os acessórios como os sapatos prateados.

A meia calça branca apareceu como um truque interessante de styling, dando um clima vintage com ares de anos 1980 para o desfile, enquanto as peças em cashmere da casa escocesa Barrie (parte dos 23 ateliers do Métiers d’Art da Chanel) aparecem leves.

Karl Lagerfeld encerrou o desfile do topo do La Pausa trazendo ao seu lado pela primeira vez Virgine Viard, diretora do Estúdio Chanel.

Copie já

Os jeans da coleção trouxeram a novidade dos navalhados franjados, dentro da tendência “Phanton jeans” (que de tão rasgados parecem nem existir mais), ideia que iniciou no Japão e já começa a influenciar os jeans de luxo.