E La Nave Va

A Chanel aportou um navio na coleção Cruise 2019

Ao invés de levar seus convidados para uma viagem, o Cruise da etiqueta trouxe a viagem para dentro do Grand Palais, em Paris.

O desfile que aconteceu no dia 3 de maio de 2018 fez com que seus convidados viajassem sem sair do lugar.

O cenário do desfile era um navio gigantesco

Está no DNA da Chanel essa relação com o guarda-roupa de viagem de verão.

Gabrielle “Coco” Chanel criava peças para as suas clientes que viajam para Biarritz.

Quando Gabrielle Chanel criou, em 1919, uma coleção especial de roupas para a temporada de férias de verão, o conceito de “cruise collection” ainda não existia.

O desfile, que acontece uma vez por ano sempre entre os shows de prêt-a-porter e alta-costura, costuma ser em lugares paradisíacos. Depois de Cuba, Coréia, e Dubai, o desejo do diretor criativo da maison era apresentar suas peças em um cruzeiro em alto mar.

Como não encontrou nenhum que fosse perfeito para a sua ideia, resolveu criar seu próprio navio em pleno Grand Palais.

CHANEL Cruise 2019

Noventa modelos  mostraram a coleção Cruise 2019

Entre as principais propostas uma volta aos anos 1980.

Para quem estava cansado da seriedade 90’s, a coleção trouxe um frescor de diversão e fantasia para a passarela.

Esses toques aparecem, é claro, nos acessórios intencionalmente literais (bolsa boia, boina de marinheiro e por aí vai) e também nos shapes: mangas arredondadas e calças baggy.

Na primeira fila, celebridades como Kristen Stewart e Lily-Rose Deep dividiram os flashes com Margot Robbie, a mais nova embaixadora da grife – nomeada durante a última premiação do Oscar.

Na passarela, clássicos da maison diretamente das raízes de mademoiselle Gabrielle.

As listras, o decote canoa, a manga 3×4, são códigos adquiridos por Coco Chanel a partir desse lifestyle resort, quando passava temporadas em sua casa de praia batizada de La Pausa – nome dado também ao navio e ao mood da coleção.

Destaque para os acessórios como os sapatos prateados.

A meia calça branca apareceu como um truque interessante de styling, dando um clima vintage com ares de anos 1980 para o desfile, enquanto as peças em cashmere da casa escocesa Barrie (parte dos 23 ateliers do Métiers d’Art da Chanel) aparecem leves.

Karl Lagerfeld encerrou o desfile do topo do La Pausa trazendo ao seu lado pela primeira vez Virgine Viard, diretora do Estúdio Chanel.

O estilo náutico ou marinheiro

Fazem parte do estilo militar, ou como muitos preferem dizer “Navy” que em inglês significa Naval justamente por que fazia parte do uniforme da Marinha.

Historia

Para quem não sabe, Marinha é a força naval (navegação) formada pelo conjunto de embarcações, pessoas e recursos necessários para a defesa e controle das atividades marítimas.

O uniforme surgiu na cor azul marinho e também branco e possuía a calças com pernas bem largas eram para que pudessem ser facilmente enroladas para se tornarem praticas durantes as limpezas nos decks.

Moda

Até hoje é normal encontrarmos roupas infantis em estilo marinheiro, principalmente para recém-nascidos, mas quem será que lançou essa moda? A historia mostra que foi a Rainha Victoria do Reino Unido.

Em 1846, a rainha Victoria encomendou uma versão em miniatura do uniforme de marinheiro para que seu filho, o príncipe Albert Edward de quatro anos, usasse a bordo do cruzeiro do Royal Yacht, agradando sua mãe e também o público. Gravuras populares, incluindo o famoso retrato feito por Winterhalter , espalharam a ideia, e na década de 1870, o terno marinheiro tornou-se vestido normal para meninos e meninas em todo o mundo. Já naquela época, as pessoas se inspiravam na moda das celebridades! Então, se o Príncipe usasse um terno de marinheiro, os pais em todo o país queriam seus filhos em um terno de marinheiro.

Em 1887, na Suécia, um “vestido de marinheiro ” com cintura natural e saia plissada foi um dos projetos promovidos pelo movimento da Reforma do Vestido , um movimento que aconteceu para evoluir o vestido vitoriano de saia armada e rodada para um modelo mais pratico e confortável, como sendo apropriado para jovens.

Mas foi em 1900 que os trajes de marinheiro, tanto infantil como feminino, se tornaram popular. Um alfaiate de nome Peter Thomson (às vezes soletrado Thompson), que tinha estabelecimentos de alfaiataria em Nova York e Filadélfia, começou à confecciona-los. Seus trajes foram considerados ideais para estudantes e era popular entre aqueles que tentavam estabelecer um “estilo padronizado” de roupas.  Em 1919,  foi descrito como sinônimo de “bom gosto para garotas de 14 a 18 anos por muitos anos”. Seus trajes podem ser vistos em vários museus americanos como Museu Metropolitano Costume Institute ,  e o Philadelphia Museum of Art .

A partir de 1917, Coco Chanel evoluiu os trajes femininos fazendo uso de calças e de camisas listradas que até então eram usadas somente por marinheiros, dessa maneira a camisa de listras também foi adotada pelas mulheres modernas daquele tempo.

Década 1940.

O aspecto náutico foi especialmente forte na década de 1940 por causa da Segunda Guerra Mundial. Era um sinal de patriotismo usar roupas com influência militar. Isso incluiu a marinha, é claro,

 

 

 

Prince Albert Edward (o futuro Edward VII do Reino Unido ) em um terno de marinheiro , de Franz Xaver Winterhalter , 1846
Em 1887, na Suécia, um “vestido de marinheiro ” 1880
1880

1877

1877

1890

1890

1894

1894

Rainha Alexandra1870-1900

Rainha Alexandra1870-1900

1900 

Coco Chanel

A partir de então, o estilo náutico virou tendencia!

Década 1920.

Década 1930.

Década 1940.

O aspecto náutico foi especialmente forte na década de 1940 por causa da Segunda Guerra Mundial. Era um sinal de patriotismo usar roupas com influência militar. Isso incluiu a marinha, é claro!

Década 1950.

Década 1960.

Década 1970.

Década 1980.

De 1990 à hoje!