Dicas para os Candidatos Políticos

Horário Eleitoral

Durante muitos anos candidadatos a cargos políticos eram aconselhados pelos seus assessores a aparentar jovialidade. Por conta disto Botox, tintura de cabelo, preenchimento e muito make-up se tornaram parte do currículo.

Ficavam toda/os com a mesma cara. Sobrancelhas tipo “símbolo da Nike” e boca de “hamburguer”.

Visual Certo

Cuidei do visual de dois políticos.

O primeiro era um candidato a prefeito discreto no vestir, mas com uma esposa quase anti-moda, mas muito acessível.

Não os deixei mais jovens, apenas criei um visual honesto, aceito pela maioria. A concorrente a primeira-dama ajudou muito e seu esposo ganhou a eleição.

No segundo caso a candidata ao governo estava em baixa.

Os jovens não a apoiavam.

Investí na auto-confiança que toda mulher têm quando se enxerga bonita.

Mudei nela o corte de cabelo, tom, make-up, maneira de vestir e postura na TV. Minha ispiração foi Hilary Clinton.

No dia do confronto final ela apareceu com o visual correto e se sentiu segura para argumentar seus projetos.

Claro que não foi a mudança de imagem que a fez subir na cotação, mas mulheres são seres mágicos e quando se sentem bonitas ganham uma força estranha e especial para seduzir até um poste!

A partir daí me dei conta que para um candidato ter sucesso precisa aparecer “produzido” mas real. Rugas não são defeitos. Fazem parte da vida!

Vejo propagandas políticas com o uso exagerado de Photoshop. É tanta interferência que as pessoas não parecem de verdade.

São truques da tecnologia e isto afeta o discurso.

A nossa primeira reação é visual.

Formamos uma opinião pela aparência e se ela engana acaba interferindo no nosso julgamento geral.

Regina Duarte merece um Photoshop, afinal é cobrada também pela beleza, mas um candidadto a algum cargo político precisa parecer honesto e verdadeiro.

Diante de tantos erros que vejo nas propagandas eleitorais resolví dar umas dicas baseadas na minha experiência vitoriosa com candidatos.

Imagem

Qualquer deslize pode significar votos perdidos.

Quer um exemplo clássico do poder da imagem correta?

Em 1960 o  jovem candidato à presidência dos Estados Unidos, John F Kennedy foi enfrentar em um debate o então atual vice-presidente e candidato Richard Nixon.

Era o primeiro debate televisivo da história dos Estados Unidos e os candidatos não tinham expertise no mundo televisivo.

Foi sugerido aos candidatos o uso da maquiagem.

O candidato Nixon recusou a maquiagem e Kennedy aceitou.

Kennedy que na época era visto como um azarão ganhou a eleição com uma diferença de 0,1% de vantagem.

Existem estudiosos que afirmam que a aparência de Nixon nos debates diminuiu bastante suas chances de eleição.

1960: Presidential candidates Richard Nixon (left), later the 37th President of the United States, and John F Kennedy, the 35th President, during a televised debate. (Photo by MPI/Getty Images)

Primeira impressão é a que fica

Não só os bons projetos vencem uma eleição, existem outras características que influenciam a decisão do eleitor.

Uma delas é a aparência.

Um candidato precisa tomar cuidado com a mensagem que transmite por meio de suas roupas.

Muito clássico pode parecer retrogrado e antiquado.

Tipo moderno, muito juvenil e descompromissado.

Antes de conhecer as ideias e aspirações do candidato o eleitor fará um julgamento pelo que vê.

Comunicação não verbal

Quem pretende ingressar em um cargo político ou já está nele, precisa se comunicar da melhor maneira possível com o público através da roupa, linguagem corporal e comportamento.

Isso é neurociência! As pessoas nos tomam por aquilo que parecemos ser.

A roupa, a linguagem corporal e o comportamento, são partes fundamentais do universo da comunicação não verbal.

Algumas pesquisas na área demonstram que o impacto causado por um candidato provém 93% da estética e apenas 7% do discurso verbal.
Há pessoas que simplesmente não entendem o que está sendo discutido.

Já ouvi gente dizer que vota em quem é mais bonito.

Quando o estilo, que funciona como uma marca é acertado, é possível entender o que o sujeito pretende só de olhar para a sua roupa.

Quando se trabalha  na política temos que agradar a todos os lados, desde o mais humilde até o mais arrogante e o modo como nos vestimos transmite a intenção.

Como se apresentar na TV

Nem sempre o que é bonito no dia a dia funciona na televisão.

Os americanos inventaram uma frase- “Less is More” (menos é mais) que define com sabedoria o visual de um candidato a um cargo político.

A simplicidade elegante na maneira de vestir pode somar credibilidade ao candidato na hora de se apresentar ao público.

Política no vídeo

Mesmo sem ser “moderno” o candidato a politico deve passar uma imagem contemporânea em sintonia com a atualidade que está vivendo.

O segredo para que o projeto político e imagem se harmonizem está em pequenos cuidados com a aparência e a maneira de vestir.

A receita é a neutralidade, moderação e bom senso da mesma maneira que um politico conduziria seu discurso.

A imagem está intimamente ligado a qualquer candidato por isto ao participar de programas de TV ou do horário eleitoral cuidados devem ser dobrados para fotografar bem nesta engenhoca eletrônica que tem a sua própria linguagem. 

Candidatas

  • As roupas em geral não devem ser largas e nem justas ao corpo.
  • O tamanho precisa respeitar o físico da pessoa. Roupas volumosas engordam, sem contar que o formato retangular da tela de TV atual “amplia” e “achata” a silhueta.
  • Roupa muito justa no corpo, especialmente nos ombros, tiram a força da imagem dando muito destaque ao crânio em tamanho e importância.
  • Ombreiras são proibidas no vídeo. Fotografa artificial, mas um pequeno enchimento nos ombros do paletó dá forma e estrutura a silhueta, especialmente em planos médios.
  • Roupas cavadas, decotadas e sem mangas só se a participação acontecer na praia. Evite ao máximo mostrar partes do corpo para não desviar a atenção das ideias.
  • Peças que vestem os braços criam maior credibilidade às mulheres. Imagine um candidato masculino de camiseta cavada nas participações eleitorais? Não se trata de puritanismo e sim regras para uma imagem séria e respeitada em todos os cenários.
  • Evite vestidos e saias curtas, justas, longas demais, muito ornamentada, lustrosas ou desconfortáveis. Couro fotografa um horror!
  • Os sapatos pouco aparecem em programas de TV, mas são importantes para as mulheres se sentirem seguras, por isto vista os sapatos que adora. Vai sentir confiança.
  • Meia cor da pele, nem pensar. A pele da perna no vídeo fica parecendo coberta de plástico. Use meias da cor do sapato, fumê (tons de cinza) ou a clássica preta. No calor evite as meias de nylon na TV.
  • Saias e calças em tom escuro diminuem o tamanho da figura na TV.
  • Ao sentar se posicione de lado para as coxas não fotografarem grossas.
  • Evite saias ou blusas volumosas. Pense pequeno nas roupas e abuse dos tons neutros que fotografam divinamente (cinza, bege, káqui, areia, ferrugem).
  • Evite tons muito claros, branco (estouram com a luz da TV), tons de pele, estampados muito juntos como o pied- de- poule, listras finas ou xadrez miúdo (criam um batimento na TV, aquela imagem que fica se mexendo).
  • O comprimento ideal para saias e vestidos é sempre na parte mais fina da perna. (tornozelo, meio da canela ou logo abaixo dos joelhos). Os joelhos fotografam muito mal na TV.
  • Acessórios dão um bom acabamento como brinco, colar ou anel, mas devem ser pequenos e discretos e sem o brilho dos metalizados ou cristais Swarovsky.
  • Não use brincos pendurados (distraem a atenção), laços, detalhes no cabelo (se precisar prender use acessórios da cor do cabelo).
  • Evite echarpes e lenços. Não sei por que os eleitores implicam com este acessório.
  • Elimine tudo que possa comprometer a linha do pescoço.
  • Nem pense em transparência, brilho, cores berrantes, tons fluorescentes, camisetas com estampa, cores claras (não tem personalidade no vídeo), roupas brancas (o branco reflete 90% da luz na TV, enquanto o rosto reflete somente 30%) A roupa não pode brilhar mais que o projeto da candidata.
  • Fique longe dos esmaltes coloridos. Vermelhos são tolerados, mas o mais “honesto” é o esmalte nude (misturinha).
  • Evite o “Color Block”, junção de cores muito vivas ou escuras no mesmo corpo, pois nem sempre fotografam legal.
  • Malhas de lã artesanais (engordam na TV), estampas coloridas ou roupas de inverno pesadas.
  • A maquiagem precisa ser leve, mas necessita de todos os produtos usados em make-up. O resultado aqui é discreto porque a maquiagem na TV aparece muito nas telas HD. E facilmente o look vira perua.
  • Todos os produtos devem ser foscos e base e pó no tom exato da pele, maquiando inclusive o pescoço e as orelhas para eliminar qualquer fonte de brilho.
  • Evite coloridos e blush marcado.
  • Nos batons deve ser usado lenço de papel para eliminar o excesso. Cores como pink e vermelho intenso não fotografam bem.
  • Os cabelos funcionam como uma moldura e você sabe que uma moldura errada destrói até um Renoir.
  • Esqueça a moda e crie um cabelo que ajude a perpetuar o visual.
  • O comprimento não deve ultrapassar o ombro e tinturas espalhafatosas como vermelho, mechas muito claras ou todo platinado não registram credibilidade a não ser que o cabelo natural seja neste tom. Se você observar nos telejornais as repórteres de bancada são sempre morenas. As loiras geralmente apresentam programas esportivos ou quadro de variedades.
  • Cabelos longos devem ser acomodados para trás dos ombros para não interferir na mensagem. Evite modismos como cachinhos ou topetes.

Candidatos

  • As roupas masculinas devem ser clássicas no formato, mas acompanhar os modismos como o abotoamento do paletó (os atuais têm dois botões), lapelas (estão estreitas) e modelagem (slim, tudo próximo ao corpo).
  • A combinação das gravatas com a camisa é mega importante, já que os candidatos são vistos no plano médio.
  • Use gravatas sempre mais escuras que as camisas, preferência para cores discretas ou no tom do traje.
  • Utilize os nós simples. As gravatas mais modernas estão bem finas, com menos de 7 cm. de largura.
  • Bainhas são fundamentais. A manga do paletó precisa deixar 1cm. de punho da camisa para fora. As calças exigem bainhas que não dobrem e nem deixem o sapato todo à mostra. O comprimento do paletó precisa ser impecável. Candidatos mais baixos precisam encurtar um pouco o comprimento do casaco.
  • As camisas de tom claro como areia, azul claro, verde, manteiga, rosa bebê fotografam melhor que camisas brancas que ficam muito “iluminadas” no look total.
  • O colarinho precisa ser exatamente do tamanho do pescoço de quem veste. Apertado dá ideia de desconforto e largo deixa com cara de mané. Os colarinhos modernos são do estilo italiano cortados para trás, sem ponta na gola.
  • Camisas com botão no colarinho não devem ser vestidas com gravata, por serem consideradas esportivas.
  • Atenção ao usar tons de azul porque a televisão utiliza muito o efeito “Cromaqui” que elimina os azuis substituindo a cor por imagens escolhidas pelo editor.
  • Ao usar camisas evite remangar. Braços tapados fotografam melhor.
  • Quando o figurino for mais casual evite bermudas, jeans detonados ou coloridos intensos. Uma boa calça “chino” (bege acizentada) e camisas sociais em cores claras de algodão lisas e sem detalhes de cor contrastante (evite o modismo de colarinhos e abotoamentos incrementados).
  • Quando for usar só a camisa deixe apenas o primeiro botão desabotoado.
  • Sapatos sempre pretos, bem lustrados e com a meia no mesmo tom.
  • Fique ciente que o seu visual precisa ser honesto.
  • A maquiagem faz parte da vida de profissionais que trabalham no vídeo, mas não pode aparecer para os telespectadores. Seve para tirar a oleosidade e diminuir olheiras.
  • Um corretivo no tom da pele e um pó facial cobrindo rosto, pescoço, orelhas e calvície quando o candidato tiver, são suficientes.
  • Proibido rímel, cantinho de olho, blush ou brilho nos lábios. Em vez de deixar “correto” resulta em um visual efeminado.
  • O corte do cabelo deve ser normal e equilibrado com o formato do rosto. Evite tinturas artificiais ou cortes radicais.
  • Barba, bigode ou cavanhaque deixam todo mundo parecido. Se a idéia é marcar o visual, o melhor é o rosto sempre limpo, a não ser que você já use estes adereços capilares.
  • Orelhas, nariz e sobrancelhas depois de uma idade começam a receber pelos. Limpe sempre. Nada mais asqueroso que pelos saído pelo nariz.