Curiosidades sobre Casamentos

Vestida de amor

O amor é um sentimento de muito valor no mercado em qualquer lugar do mundo.

Anualmente são gastos mais de dois bilhões de reais em festas de casamento no Brasil, gerando milhares de empregos na indústria, comércio e no setor de serviços.

Por mais liberdade que as pessoas desfrutam, mais se rendem aos rituais.

O casamento é um bom exemplo. Casais que vivem informalmente juntos há muitos anos resolvem oficializar as bodas, não mais por uma imposição da sociedade, mas para celebrar a vitória do amor e também porque o ser humano adora festas de casamentos. Qualquer comunidade em qualquer lugar do planeta costuma celebrar a união dos casais.

As festas de casamento se tornaram populares porque na cultura da Antiga Grécia o casamento era a única cerimônia em que as mulheres podiam participar.   As cerimônias mudam conforme as tradições religiosas e culturais de cada país, povo ou região, mas a roupa da noiva sempre é motivo de destaque.

wedding-fashion-by-vogue-brides-through-history-1_originalweddingbrides

 A moda muda, o casamento fica

  • O casamento tradicional ocidental, com noiva e culto religioso é inspirado nas cerimônias da Roma Antiga.
  • O buquê servia para espantar os maus espíritos onde a hera significava a fidelidade, o lírio a pureza, as flores brancas felicidade e vida longa e as rosas vermelhas o amor. A flor de laranjeira representava a fertilidade.
  • O véu é uma referência à deusa Vesta, que na mitologia greco-romano representava a protetora do lar. servia para proteger a noiva do mau olhado e  também dos seus possíveis admiradores.
  • O vestido de noiva vem do mito de Himeneu, da mitologia grega. O deus do casamento era evocado nas núpcias quando a noiva era conduzida para a casa do marido vestida de branco e com o rosto coberto por um véu.
  • O noivado acontecia em templos onde os noivos, seus pais e convidados  participavam da troca de alianças em um oficio religioso, onde os noivos juravam fidelidade e precisavam da aprovação dos oráculos. Após a cerimônia, assinavam um contrato que determinava o dote da noiva.
  • Parece familiar? Mas existem rituais mais diferentes, mas sempre ligados às tradições culturais ou religiosas.
  • No casamento hindu, a cerimônia consiste em quinze rituais onde a noiva troca o sári (roupa típica) comprado pelos pais, pelo sári dado pelo marido simbolizando a passagem da responsabilidade da noiva, do pai para o noivo.

Pakistani Indian fashion bridal wear marriage dresses, wedding, latest Abaya designs (1)

  • Na Índia é comum o casamento entre crianças. Ghandi ficou noivo aos oito anos e se casou com doze. As noivas usam a “lehenga”, uma suntuosa roupa tradicional decorada com veludo e bordados. Uma noiva indiana enfeita cada parte visível do corpo. Quanto mais rica a noiva, mais pesada deve ser sua roupa. Como adorno algumas noivas usam mais de dois quilos de jóias de ouro, diamantes e esmeraldas.
  • O ritual turco assimilou os trajes ocidentais, mas na hora de receber os comprimentos manda a tradição que os convidados apliquem jóias e moedas de ouro no vestido da noiva para que no final da festa esteja coberta de ouro.
  • O casamento japonês começa com os noivos vestindo quimonos. Após a cerimônia xintoísta, trocam por trajes ocidentais.
  • O casamento chinês é cheio de tradições. O vermelho simboliza o amor e a alegria. Assim, muitas noivas chinesas utilizam esta cor para os seus vestidos, velas e caixas de presentes. Antigamente na China os noivos só se conheciam no dia do casamento. Para amenizar o primeiro impacto, a noiva escolhia as damas de honra entre as moças mais feias do lugar, com o objetivo de realçar a sua própria beleza.
  • Os árabes são famosos pelas múltiplas esposas, mas árabes cristãos não mantêm tal tradição, pois são monogâmicos. Quem pode se casar mais de uma vez são os muçulmanos, e até em número de quatro. Atualmente, é uma prática em desuso, que cada vez mais vem sendo abolida.
  • Na Palestina e muitos paises árabes a noiva casa com a cabeça coberta.
  • No casamento judaico quem cobre a cabeça é o noivo com o tradicional kipá, mas é comum que a noiva use véu.
  • Na união cigana a festa dura no mínimo dois dias. A família do noivo visita a família da noiva dançando músicas ciganas. Os homens bebem a Proska e então começa o casamento.
  • No casamento evangélico não há rituais, mas maior liberdade para músicas, homenagens, como a noiva cantar para o noivo. Não fazem um juramento e sim um compromisso.

Rituais de Casamento

carolliltom1924wedd

Muitos dos que participam nem desconfiam como estes rituais foram criados

  • Os anéis de noivado, por exemplo, devem ter um diamante porque são consideradas “pedras de Vênus”, a deusa do amor. Ao longo da história, os diamantes foram associados às coisas belas e a misteriosa luz interior, ao fogo da paixão.
  • O primeiro anel de noivado com um diamante foi oferecido em 1477, por Maximiliano da Áustria, a Maria de Burgundy. No momento do pedido de casamento, Maximiliano colocou o anel de diamantes no terceiro dedo da mão esquerda da sua amada. Maria disse que “sim” e nasceu a tradição. Há quem diga que o dedo anelar da mão esquerda tem um vaso sanguíneo com a ligação mais próxima do coração.
  • O noivo não pode ver a noiva com a roupa do casamento por causa de uma tradição que remonta aos ritos primitivos que estipulava que ninguém podia ver a noiva antes de ela passar completamente para o grupo das casadas.
  • Jogar arroz nos noivos é um dos ritos mais antigos do casamento e exprime o desejo de fertilidade para o casal.
  • O brinde com champanhe acontece porque a bebida alcoólica é tradicional em festas. Nos antigos ritos, o vinho era a bebida utilizada e é referenciado na Bíblia, inclusive. Porém, o primeiro registro de um brinde remonta a uma festa de casamento dos Saxões no ano de 450, Antes de Cristo.
  • Os bolos sempre estiveram associados aos casamentos ao longo da história. Os romanos partilhavam um bolo confeccionado com farinha, sal e água. Algumas tribos sul-americanas e nas ilhas Fidji também incluem bolos nas  cerimônias. O partir do bolo pelos noivos simboliza que repartirão o futuro.
  • Entrar em casa com a noiva ao colo tem difícil explicação. Uma das tradições acredita em azar se a noiva cair à entrada de casa ou entrar em casa com o pé esquerdo. Outra explicação remonta ao costume anglo-saxão em que o noivo roubava a noiva e a carregava nas costas.
  • A origem da  expressão “Lua de Mel” apareceu porque quando os casais se casavam e iam para a noite de núpcias, os vizinhos e parentes desenhavam uma lua com mel na porta da casa para dar sorte.
  • Na Idade Média, vestido de noiva vermelho significava sangue novo para a continuação da família. O vestido branco veio da Inglaterra, através da rainha Vitória em sua união com seu primo o príncipe Albert. O mais curioso de toda essa história é que foi a própria rainha que o pediu em casamento porque naquela época não era permitido fazer um pedido desses a uma rainha.