Como estilistas do passado previam o futuro

Pierre Cardin disse uma vez: “as roupas que eu prefiro são as que invento para uma vida que ainda não existe – o mundo de amanhã”.

É um exercício comum, não apenas da moda, imaginar como será o futuro. Como não lembrar imediatamente do desenho Jetsons, com carros voadores e animais robôs?

Além de Cardin, André Courregès e Paco Rabanne criaram em 1960 coleções tentando prever como nos vestiríamos no século 21, com muita inspiração em astronautas e no espaço.

Courregès ainda foi mais longe e criava em seu ateliê, numa sala chamada de “laboratório secreto”, carros elétricos que serviam para acompanhar os seus vestidos futurísticos.

Apesar das previsões terem passado longe, o design do futuro pode mostrar bastante sobre a sociedade da época e os seus sonhos.

Reuni alguns desenhos de como os estilistas imaginavam o futuro, desde o designer de 1880 que imaginava o ano de 1952 até fotos das coleções de Cardin dos anos 1960.

Ilustração de designers de 1880 imaginando como seriam as roupas de 1952.
11821639_442558392598388_453596782_o
O futuro de Pierre Cardin.

O ilustrador  W. Cade Gall fez uma sátira  “future dictates of fashion” para a revista The Strand.

 Em 1959, imaginaram que poderiamos usar roupas descartáveis. Apesar de hoje não ser literalmente assim, talvez seja um começo da ideia de fast fashion.

 Esta é a Le Sortie de l’Opéra en l’An 2000, de Albert Robida, feito em 1882. Era assim que o artista imaginava como seria a saída de uma ópera no século 21.