Bonecas de papel

O desfile da marca italiana Moschino fez uma homenagem as “bonecas de papel” com roupas com “abas” e ilustradas sobre tecido plano.

aa2cb4de1d32147f246206ef4fcabdaaimagescai9fbp7moschino-furtherstyle-santiago-invernizzi-jeremy-scott4

Mesmo em uma época digital as velhas bonecas de papel ainda são símbolos de glamour e motivos de saudades de muitas gerações.

 

 

Quem nunca se encantou com este brinquedo tão simples

6d9944393e507a8a33f8a7bb05202e92

As bonecas vestem peças básicas ou moda intima.

As roupas e acessórios vêm em separado, com abas sobre os ombros e outros pontos do corpo para serem dobradas sobre o corpo da boneca, como forma de sustentação.

Completa um conjunto de roupas, podendo ser trocadas e alternadas, entre saias, calças, blusas, sapatos, chapéus.

76fbb60c2b2aca44f9c27d8032252234imagescasxcx3m

História das bonecas de papel

As bonecas de papel existem desde que existe o papel.

As figuras de papel foram usadas em rituais em culturas asiáticas durante vários séculos.

imagescajfejcf

Uma cerimônia japonesa de purificação, que data pelo menos de 900 A.D., incluia uma figura e um objeto de papel dobrado, semelhante a um kimono

Os povos de Bali faziam fantoches da sombra do couro e do papel antes da era Cristã, embora não haja registro de que eles tenham feito trajes separados para estas figuras.

paper-doll-boy-printable-graphicsfairy-sm

Na França em meados dos anos 1700, surgiu a figura do salt-jaque, um cruzamento entre o fantoche e a boneca de papel, para satirizar a nobreza.

Os exemplos das primeiras bonecas de papel como conhecemos apareceu em grandes centros como Viena, Berlim, Londres e Paris.

Eram figuras pintadas a mão e trajes criados para o divertimento de adultos ricos.

imagescadatc29

Alguns acreditam que tenham sido feitos por uma costureira para mostrar formas reais, ou podem ter sido feitos como sátiras sócio-políticas das figuras populares da época.

Em 1791, uma propaganda de Londres anunciou uma nova invenção, então chamada a boneca inglesa.

imagescaqx0kss

Era uma figura de uma jovem, com oito polegadas de altura, com um guarda-roupa completo de roupa íntima, acessórios para cabelos e seis conjuntos de roupa completos.

Bonecas semelhantes a esta foram vendidas também na Alemanha.

ee0e5d52f538338c54d20e66177c109c

Nos anos 1820, conjuntos de bonecas eram produzidos na Europa e exportados para crianças de famílias abastadas em outras partes do mundo.

A primeira boneca de papel retratando uma pessoa famosa foi da bailarina Marie Taglioni, nos anos 1830 e em 1840 foi publicada a boneca da Rainha Vitória, consideradas atualmente valiosas raridades.

imagesca4wxsiz

As bonecas de papel só passaram a ser produzidas em larga escala e para as camadas mais populares no início do século XX.

Nos anos 1900 houve uma febre das bonecas de papel nos muitos setores voltados para a mulher e a criança, como revistas femininas e infantis.

Época de ouro

76fbb60c2b2aca44f9c27d8032252234

Muitos artistas dedicaram-se anos a fio à criação e publicação das bonecas.

A era de ouro das bonecas de papel ocorreu entre as décadas 1930 e 1950, quando sua popularidade atingiu índices nunca superados.

Mesmo durante a Segunda Guerra Mundial elas continuaram sendo fabricadas, apesar da escassez de papel.

Bonecas de papel de celebridades

lana-turner-1942-vintage-paper-doll-fashion

As celebridades e as estrelas de cinema eram muito populares e retratá-las era muito simples nos anos 1930, 1940 e nos 1950, quando não haviam sido regularizados os direitos de reprodução. As estrelas de cinema e suas imagens eram geralmente propriedade dos estúdios, e elas mesmas nunca viram a renda de sua venda como bonecas de papel.

Além da imaginação

marisole-vintage-roses-color

As bonecas de papel são brinquedos que estimulam a imaginação e a criatividade, através das amplas possibilidades oferecidas pelo material.

As bonecas de papel atuam sobre a imaginação da criança como as ilustrações dos livros, estimulando-a sem dar todas as respostas, cabendo à criança completar a criação com seu imaginário próprio.