Balonê no ar

Balonismo fashion

No verão 2018 da Saint Laurent, vestidos com shape bubble dividiram a cena com mangas e tops esféricos – os volumes arredondados são literalmente a bola da vez.

Resgatar o balonê é a dica de ouro para atualizar o look noturno: aposte em um little black dress que carregue a modelagem e use com meia-calça (complemento quente por mais um inverno, em versões que vão muito além do modelo preto de fio opaco) e sapatos de plástico transparente, acessório polêmico que promete causar desejo após ter cruzado a passarela do verão 2018 da Chanel.

O verão 2018  traz de volta as roupas infladas.

É a silhueta balonê, furor nos anos 1980 e que tenta um lugar ao sol com bem menos pretensão e muito mais conforto.

Yves Saint Laurent foi um dos primeiros a adotar esta versão de saia, por conta disto Hedi Slimane (diretor de criação) resolveu interpretar a criação com um toque de rock’n’roll na coleção de verão da marca (foto principal).

5d8e966905200b8b59513a976f295ea8

Nicolas Ghesquière para a Louis Vuitton também colocou  as puffs na passarela

baloneKIM_1000

O desafio dos balões

Em 1987, Christian Lacroix deu um novo sopro à Alta-Costura com seus vestidos balonês.

Desde então o formato chamado na época de “Puff” (por lembrar uma almofada) entra e sai de moda com uma aceitação restrita por parte das consumidoras de moda.

df79f7c1f069bb7f63bb4804b2b1692b vestido-puf-Christian-bolero-gris-cuello-de-piel-Lacroix-9

Mas parece que o balonê, que desfila desde 2004 sem resposta de vendas, finalmente vai voar e ganhar aceitação popular quando o tempo esfriar.

De acordo com o que se viu nas passarelas internacionais de inverno 2016, a moda dos volumes balonês permanece em forma.

Quem ainda não adotou esta forma de bainhas arredondadas vai ter mais uma estação para o desafio.

É um pouco difícil aceitar novas formas para a silhueta, mas depois de provar (e aprovar) os volumes balonês, certamente o detalhe da modelagem não parece tão perigoso, além de tirar da monotonia qualquer look.

Não há como negar que o volume proposto pelos balonês bate de frente com o desejo feminino das brasileiras de parecer sempre magras.

Faz pouco sentido passar horas malhando para sair à noite com uma saia balonê que deixa qualquer mulher com aparência avantajada nos quadris.

Para não ficar parecida, literalmente, com um balão, a palavra-chave é equilíbrio.

O segredo para garantir um visual “slim” é nunca usar volume na parte superior. Quando a saia ou o short é balonê, a parte de cima deve ser sempre mais ajustada e nos vestidos o melhor é investir em versões leves, em tecidos menos encorpados, como a seda ou malha viscose.

Adote

vestido_balone_curtolouis-vuitton-fall-rtw-navy-puff-shoulder-sleeve-dress-pic115717

  • O balonê favorece mulheres de quadris estreito e magrinhas com pouco bumbum
  • Porém a forma balonê não se trata de um modismo proibido para mulheres cheias de curvas, lembrando que a modelagem pode ampliar ainda mais quadris largos.
  • Favorece quem tem ombros largos ou peitão. O volume embaixo da peça desvia a atenção de cima.
  • O brilho na parte de cima, tipo paetês, bordados ou lurex, é truque para quem quer usar a peça e está acima do peso.
  • Use com salto altíssimo, pra alongar a silhueta.
  • Destaque bem a cintura com cintos apertados ou largos
  • Malha, algodão, tafetá ou seda são os melhores tecidos para o efeito balonê:
  • Para look mais alongado, meias coloridas no tom da saia ou vestido.
  • Um leve balonê atualiza o tubinho curinga

Evite

  • Em quadris largos ou coxas grossas. O balonê aumenta o volume.
  • Não use com legging. Prefira meias calças.
  • Fuja do branco, especialmente nos shorts (vai parecer fralda).
  • Evite as modelagens amplas ou fartamente estampadas.
  • Proibido com blusas amplas. Corta a silhueta e deixa a figura mais baixa.