As calças de prega voltam na moda masculina

Vistas nos desfiles de marcas como Lanvin, Giorgio Armani e Balenciaga durante a temporada internacional de moda masculina, as calças de alfaiataria amplas, com pregas e mais curtas, ganham destaque

Após mais de uma década de frentes lisas e pernas coladas, nas silhuetas slim ou skinny, as calças reagem e ganham muito volume.

Forma moderna

As calças amplas significam um novo elemento para construir em cima, um elemento clássico que pode ser usado por qualquer corpo ou idade.

Você pode ficar ridículo portando uma roupa colada ao corpo, se não tiver os atributos estéticos certos para tanta exposição, mas com a moda dos volumes, vai parecer exótico, mas nunca motivo de crítica.

Um longo caminho de volta

As pregas estão renovando as calças masculinas.

São clássicas, mas hoje a modelagem é moderna e permite mesmo no lazer com a barra mais curta e ser usada com tênis de lona ou alpargatas.

O desaparecimento da pregas frontais nas calças masculinas começou quando designers como Hedi Slimane (na epoca diretor de criação da Dior Homme),  Raf Simons  e Thom Browne encolheram todas as silhuetas enfatizando um ajuste magro.

O estilista da Chanel, Karl Langerfeld, neste período  perdeu quarenta quilos para se enfiar em ternos esmirrados da Dior.

Este formato de calças chamado de “oxford bags” foi muito popular nos anos 1930 e 1940, nas calças masculinas chegando ao exagero das zoot bags, calças imensas que viraram uniforme de muitos músicos de jazz na época.

Nos anos 1980 dominaram o mercado da moda masculina em nome do conforto e também para equilibrar a silhueta com as enormes ombreiras vigentes na década.