Aniversário do Peplum

Comemore este detalhe de moda que afina a cintura e esconde quadris amplos

O peplum foi eternizado em 1947 por Christian Dior em sua primeira coleção que seria batizada de “New Look”, há setenta anos atrás.

Parabéns!

O Peplum icônico da Christian Dior

O Peplum é um volume godê que fica em volta da cintura ou quadril, em babado ou não, aplicado ou no final de um top (blusa, jaqueta, blazer, camisa)  ou início ou fim de um bottom (saia, bermuda, calça)

O nome pode parecer um tanto exótico e não remeter a nenhum item do guarda-roupa contemporâneo, ou até soar como um traje digno das melhores ficções científicas ou filmes de época.

A verdade é que o peplum, apesar de realmente ter origem no vestuário feminino da Grécia antiga (especula-se que 500 a.C.) e denominar um gênero de películas que dominou o cinema italiano até meados da década de 1960, é uma simples quantidade sobressalente de tecido que, adicionada a blusas, jaquetas, saias e vestidos, envolve parte da cintura e quadril.

O Peplum reapareceu no vestuario moderno no Período Isabelino (ou Elisabetano 1558 – 1603).

Desde então este babado feminino caiu no gosto das mulheres podendo criar looks femininos, formais, com uma pegada geométrica e até mesmo futurista.

Ao aparecer repetidas vezes nas passarelas de marcas influentes como Alexander McQueen, Givenchy, Burberry Prorsum, Lanvin e Jil Sander, sobretudo a partir da Primavera/Verão 2012, o peplum voltou a chamar a atenção de outros designers, coolhunters e editores de moda internacionais.

Em janeiro de 2012, a “Vogue” americana dedicou um editorial inteiro à tendência: em “Dare to Flare”, a brasileira Carol Trentini aparece em seis páginas vestida em algumas das peças mais desejadas da estação.

Peplum Antes de Dior

 

Peplos é uma palavra grega que na Antiguidade indicava  sobre-saia  usada na indumentária feminina.

Um babado que controlava o excesso de volume dos vestidos drapeados,  em voga naquela cultura.

termo Peplum se originou de um acessório,  que em outras épocas, tinha o propósito decorativo ou de resguardar a roupa dos respingos de lama e sujeiras ao andar a cavalo. Era um detalhe masculino e feminino, popular em vários períodos da história até  chegar a modelagem similar da atual.

  Após o término da Segunda Grande Guerra Mundial as casas de moda  da Europa e EUA se inspiraram no período renascentista.

New Look Dior  1947

Christian Dior pretendia renovar o espírito feminino com figurino  fresco e clean valorizando a simetria ampulheta.

O principal hit era um blazer estruturado que salientava os ombros e destacava a linha delgada da cintura, cuja  basque ou babado se estendia até a altura dos quadris. Quase sempre associado à saia lápis, plissada ou godet.
Reeditava e popularizava  a modelagem peplum que estava incorporada a moda desde os  anos 1920.

Peplun Chanel -1940.  Chanel  também aderiu.

Anos 1980

Nos anos 1980 reapareceu associado a drapeados e recortes  sinuosos.

A partir das  temporadas de  2012/2013  o peplum se tornou item preferido em muitas coleções e guarda-roupas

Como usar

Peplum chique

  • A quantidade extra de tecido pode dar a ilusão de quadril mais amplo a não ser que o tecido seja bem fluido. Neste caso até favorece porque “esconde” o tamanho real.
  • Em contra partida pode visualmente diminuir o tamanho da cintura
  • É perfeito para mulheres com corpo em formato de triângulo invertido (quadril estreito, ombros largos) por equilibrar a silhueta
  • Para as acima do peso opte por peças com cores escuras e modelagens menos volumosas. Fica muito bom.
  • Para as baixinhas o legal é optar por looks monocromáticos e por um peplum de tamanho horizontal curto, pois ele pode “roubar” o tamanho das pernas, dando a impressão de que elas são mais curtas.