A História da Jaqueta de Couro

O couro foi um dos materiais mais antigos do mundo a serem utilizados para vestimenta. O motivo era simples: a pele do animal protegia contra o frio e era maleável

ef3d8211341126c01a3b17aa2c264c7d

Com o passar do tempo, o material foi aparecendo em acessórios como sapatos e luvas, entrando aos poucos para a história da moda.

O primeiro modelo de jaqueta, com silhueta Bomber, surgiu no início do século XX como uniforme da aviação militar.

Na época da Primeira Guerra Mundial, Irving Schott decidiu adaptar a peça para os motociclistas, dando o nome de Perfecto, em homenagem a seu cigarro favorito. Em 1928, ele vende seu modelo para a Harley Davidson.

Algumas décadas depois, no período do pós-Guerra, a jaqueta era um símbolo de heroísmo e representava uma quebra no padrão dos ternos feitos sob medida.

Assim, os homens que a usavam eram identificados como os “bad boys”.

Foi quando em 1953, Marlon Brando usou a jaqueta no filme “O Selvagem”, que a peça se popularizou e virou objeto de desejo.

A partir disso, fez parte do figurino de diversos artistas do cinema nos anos 1950 e nos anos 1960, e chegou ao guarda roupa das personalidades do rock e do punk.

A partir dos anos 1980, mulheres como Madonna e Joan Jett também começaram a usar a peça, até então restrita aos homens.

Entre os anos 1990 e 2000 os estilistas das grandes maisons de luxo começaram a voltar seus olhos para o hit das ruas.

Em 1999, Nicolas Ghesquière foi um dos primeiros estilistas a desenhar seu modelo próprio para a Balenciaga.

Hoje, a leather jacket segue como um clássico-moderno, se reinventando a cada temporada.