Tela preta

O dramático preto continua sendo uma boa alternativa de vestir sofisticado

Preto lembra vamp, lembra Chanel e os muitos filmes em que a elegante heroína se veste na cor.

Audrey Hepburn certamente não seria tão festejada e motivo de inspiração se usasse outra cor na abertura do filme “Bonequinha de Luxo”

Na hora de escolher os negros, pense em peças eternas e sem muitos detalhes, que não dificultem possíveis combinações.

O preto pode ser total look ou combinado com outras cores e metais

Pode ter aparência chique (Ladylike/ new chique) ou metaleira com forte inspiração no rock punk e no fetiche leather.

Existe um consenso que é impossível estar mal vestida de preto, o que não é verdade.

Com tantas opções de look, a escolha errada pode acrescentar pouca expectativa ao visual e até engordar.

Sim, preto em tecidos duros, volumosos ou em modelagens complicados engordam mais que um “sequinho” bege.

Escolha tecidos de cor firme, como o crepe, sarjas de boa qualidade, veludos ou sintéticos com ou sem stretch.

Não desmerecem com o uso ou manutenção e caso desbotem, se tornem avermelhados ou lustrosos, lavanderias e tinturarias especializadas conseguem uma recuperação superior a qualquer outra cor.

Os acessórios permitem que as roupas pretas mudem de cara o tempo todo.

Flores de tecido coloridas, colares e outros tipos de bijuterias, brilho, cinto, bolsas e sapatos conferem visual único em qualquer produção negra.

“Pretinhos” de qualquer formato podem parecer casual com meias foscas e acessórios camelo e pintar com cara de festa somada a meias finas, sapatos e bolsa de festa ou cinto de strass.

Visual Noir

Cinema Negro

O chamado “Film Noir” (filmes policiais dos anos 1940 e 1950) e os suspenses do diretor de cinema Alfred Hitchcock serviram de inspiração para o “black is back” desta temporada.

Mas o cinema sempre se valeu do “preto” para vender suas estrelas douradas.

Rita Hayworth em “Gilda” – 1946 (Adrian)

Anita Ekberg em “La dolce Vita”- 1960

Delphine Seyring em “O ano passado em Marienbad” -1961 (Chanel)

Audrey Hepburn em “Bonequinha de luxo”- 1961 (Givenchy)

Catherine Deneuve em “A bela da tarde” -1967 (Yves Saint Laurent)

Sharon Stone em “Instinto Fatal” – 1992

Demi Moore em “Proposta indecente” – 1993 (Thiery Mugler)

Cate Blanchett em “Elizabeth” -1998