O Vestido de carne de Lady Gaga

O vestido de carne de Lady Gaga

Lady Gaga já vestiu looks que deixaram o mundo da moda em polvorosa, mas talvez nenhum seja tão polêmico e comentado quanto o vestido feito de carne que ela exibiu no MTV Video Music Awards, em 2010.

Esta peça foi inspirada em um biquíni de carne usada por Lady Gaga na capa da Vogue Japão.

O modelo reapareceu na mídia em 2016, ao ser colocado para exposição no Rock and Roll Hall of Fame and Museum em Cleveland, Ohio, nos Estados Unidos.

O vestido já não é mais cru como antigamente

A icônica peça não apodreceu, como acontece com qualquer carne crua comprada no açougue, e mais se parece hoje com um vestido de “carne seca”.

O diretor de coleções do museu Rock and Roll Hall of Fame, Jun Francisco contou à MTV americana, que o museu entrou em contato com Gaga logo após a edição de 2010 para adquirir o vestido.

“Na época ainda era carne crua. Decidimos que tínhamos que preservá-la como um beef jerky”, disse.

O charque dos americanos é “curado” com sal e desidratação, assim como nossa carne seca. “Portanto, é taxidermizado”.

O vestido tem viajado pelos Estados Unidos, através da mostra “Women Who Rock”, com cuidado redobrado no transporte.

“Nós o transportamos em um caminhão climatizado, em sua própria caixa, feita especialmente para ele, e controle da temperatura. Na verdade, não é tanto a temperatura, é mais controle de umidade”, diz Jun.

Operação carne fraca

Desenhado e desenvolvido por Franc Fernandez, a peça contou com styling de Nicola Formichetti.

O vestido, formado por várias capas de carne bovina crua foi usado por Lady Gaga quando recebeu o prêmio de vídeo do ano pela música “Bad Romance”.

O debate se concentrou se a cantora pop estava fazendo com ele alguma declaração ou apenas queria chocar.

O grupo de defesa dos animais PETA (em português, Povo Pelo Tratamento Ético dos Animais), instituição que atua em campanhas mundiais contra a tortura e os maus-tratos de animais, além do consumo de carne, manifestou na época seu repúdio ao vestido, declarando que esperavam que a exposição de Cleveland levasse as pessoas a abandonar o consumo de produtos animais.

Quando Gaga apareceu de biquíni na capa da Vogue, fotografada por Terry Richardson, ativistas alegaram que carne representa “violência e sofrimento” e era isso que a imagem de Lady Gaga passava na revista.

Com o vestido a instituição se mostrou ainda mais incomodada.

“Quando ela não tiver os holofotes da TV sobre sua carreira, só restará o cheiro podre da carne para atrair muitos vermes”, atacaram os vegetarianos.

Cantora Carnívora

 

Gaga, durante entrevista à apresentadora Ellen DeGeneres (que é vegetariana), pós-entrega do VMA, explicou que a roupa não é ofensa, mas um modo de chamar a atenção para questões como o preconceito, por exemplo. “Se não defendermos o que acreditamos e não lutarmos pelos nossos direitos, logo teremos tantos direitos quando a carne que cobre nossos ossos. Eu não sou um pedaço de carne”, protestou ela. Em resposta, DeGeneres lhe deu de presente um biquíni e uma saia feitos de vegetais!