Natal do Desapego

Para os pequenos desta geração acostumados ao restrito presente do “amigo secreto” fica difícil imaginar que no século passado era normal a troca de mimos entre “todas” as pessoas.

As famílias faziam listas e saiam desatinadas para as compras.

As arvores de Natal das casas eram recheadas de lindos pacotes de presentes. Dezenas. E em qualquer lar, até os mais humildes.

Só que com a crise atual até o presente do “amigo secreto” ficou pesado para muitas famílias.

Hora de mudar

Na adoção das famílias pelo “amigo secreto” o prazer de ganhar muitos presentes foi substituído pela alegria da brincadeira, o sorteio e o mistério de quem tirou quem.

Mas assim como o “presente para todos” evoluiu para o “amigo secreto” sugiro uma proposta de presentes de Natal mais adequado a estes tempos de Papai Noel magrinho:

Natal do desapego

Eu tive uma tia que repassava presentes até com o cartão de felicitações original dentro.

Na época a criançada ficava irada, mas hoje vejo que ela tinha razão.

Quantos lindos e úteis objetos de decoração, bolsas, sapatos, livros, discos e filmes estocamos em casa para juntar poeira?

Mesmo tendo uma configuração humana da novidade, insistimos em amontoar tralhas.

E todos nós temos uma tecla do gosto e não gosto que muda constantemente.

Quem já não abandonou uma peça querida em função de uma mais nova ou mais moderna.

Só que o que deixamos de amar pode ser novidade para quem ainda não conhece.

Minha sugestão para este Natal 2017 é presentear amigos e parentes com coisas que já foram importantes ou que sejam mais úteis para outra pessoa.

Primeiro tem o valor emocional do presente, você está abdicando deste objeto pessoal em favor de outra pessoa.

Isso já faz com que o presente fique mais interessante.

Um amigo decorador que morou muitos anos nos Estados Unidos tinha o hábito de presentear com as antiguidades que ele tinha em casa. Todo mundo adorava porque eram peças lindas.

Imagine dar a uma amiga que gosta de antiguidades aquela xícara que era de sua avó e que você guarda lá no canto do armário.

Ou aquela bolsa que você já considera demodê, mas que pode alegrar outros armários.

Claro que para os pequenos é melhor brinquedos novos, mas os que já não servem mais podem ser doados pela própria criança para entidades sociais.

Regras para um Natal Desapego

Cultivar o desapego é uma forma de minimizar o consumismo e uma atitude moderna que deve ser exercitada sem preconceito, apenas com um pouco de criatividade.

  • Proibido comprar presente. Não pode gastar dinheiro.
  • Precisa ser combinado com todos os familiares adultos para que ninguém se sinta inferiorizado ganhando um presente “usado”.
  • Cada pessoa escolhe uma coisa que queira desapegar para presentear a outra. Mas tem que ver com a presenteada/o.
  • Ao entregar o presente deve ser contado a história dele. Tipo comprei em uma viajem rara, este livro mudou minha vida, este filme me fez voar, este colar me deu muita sorte, este objeto tem uma história…
  • Mas veja bem , desapego significa você romper com algo que lhe é muito caro e não uma limpeza dos entulhos da casa.
  • Tudo o que for presenteado tem que trazer uma boa aparência.

  • E a embalagem precisa surpreender ao máximo. Invista em papeis e fitas fabulosas e não economize no resultado visual. O primeiro impacto é o que vale. A embalagem é tudo. Exemplo disto são as joias. Mesmo valiosa no conteúdo repousam em lindas e luxuosas caixas e embalagens chocantes.
  • O formato de presentear pode ser de um “amigo secreto” ou deixar exposto para que cada um escolha o seu embrulho preferido.
  • Deste jeito os presentes podem ter melhor qualidade. Não precisa comprar “badulaque” só para ter um presente para dar.

Tempos modernos

Economizar dinheiro, ajudar alguém a economizar, praticar a generosidade, compartilhar com pessoas queridas, ganhar espaço em casa, se livrar de coisas que você não usa mais são alguns dos muitos benefícios do hábito do desapego e o Natal é uma época propícia para espalhar isso também entre familiares e amigos.

Sem falar que esta é uma atitude de sustentabilidade.

Exemplos do que está sobrando e pode virar presente

Livros já lidos, discos e filmes

Quem gosta de livros tem dificuldade de romper com eles, mas tem títulos que apesar de bons não valem releitura.

Cosméticos e perfumes que não são usados

Uma troca de desapegos é uma excelente oportunidade para passar esses produtos adiante, evitando que eles vençam sem uso.

Roupas em ótimo estado de conservação

40% do que temos no armário é estoque que nunca procuramos, mas que na nossa imaginação servirão um dia.

Conselho de expert. O que não foi usado nos últimos seis meses não nos serve mais ou pelo menos não nos representa no momento.

O desapego de roupa é um dos mais fáceis de praticar porque todo mundo precisa de roupa e, ao mesmo tempo, todo mundo tem alguma peça de roupa sobrando.

Mas é fundamental mandar lavar a roupa em uma lavanderia para que tenha uma boa aparência sem cheiro de “roupa guardada”

Bijuterias e acessórios

Todas as mulheres tem dúzias e o que tá manjado para uma pode ser luxo para outra.

Todo mundo tem canetas, blocos, agendas e outros itens de papelaria que mesmo em tempos digitais ainda tem valor.

Eletrônicos e eletrodomésticos que não são usados

Geralmente as pessoas revendem eletrônicos e eletrodomésticos encostados, mas muitas vezes o prazer de dar para algum amigo ou familiar que não vai precisar gastar com um produto novo supera em muito o valor de venda.

Brinquedos

Muitas crianças abandonam brinquedos ainda novos, mas o desapego precisa partir deles.

É um bom exercício em um mundo cada vez mais egoísta.

Louças e objetos de decoração

Sempre tem alguma coisa sobrando para surpreender alguém.