Meu nome é Mary-Jane

Os sapatos Mary-Jane são símbolo de delicadeza e um clássico da moda

de86c6b75f0d4fb50b31e58e6fcb202b

E, como todo clássico, de tempos em tempos, ele volta repaginado para o cenário fashion, pronto para mostrar, mais uma vez, que além de atemporal é totalmente versátil

Biografia do Mary Jane

O “it shoe” da próxima estação já pisou mais de um século de história.

Mary Jane é, por definição, o sapato que possui uma tira horizontal sobre o peito do pé ou à volta do tornozelo.

start-rite_louisa_traditional_bar_shoes_or__mary-jane__shoes

A origem vem dos sapatos usados pela personagem Mary Jane, criada em 1902 por Richard Outcault, no seu romance cómico Buster Brown.

A popularidade da personagem tornou os sapatos objeto de desejo para as crianças e, até ao fim da década de 1950, os Mary Jane foram um must-have no armário tanto de meninas como de meninos.

Por isto a conotação inocente e infantil, que acompanhou durante décadas. Os loucos anos 1920  pediam sapatos confortáveis para as estonteantes e aceleradas maratonas de dança, mas que ainda assim mantivessem um apurado sentido estético.

O “back-to-basics” destes sapatos foi levado a cabo na década de 1960, quando Mary Quant infantilizou a modelo Twiggy com sapatos com a tira no peito do pé.

Courreges, Yves Saint Laurent e Dior também adotaram o Mary Jane na época dando a eles um caráter de moda e elegância.

Versão 2017/18

ladies-womens-girls-font-b-mary-b-font-font-b-janes-b-font-chunky-font-bladies-womens-round-toe-girls-font-b-mary-b-font-font-b-janes-b-font-round

Nas últimas temporadas, esta modelagem de calçado dominou as passarelas e desfiles como os da Gucci, Valentino, Prada e até a Emporio Armani.

Há para todos os gostos: modelagens mais clássicas e básicas (e monocromáticas), e também outras mais ousadas, com estampas e transparências – outra trend que vem dominando o mundo dos sapatos.

O estilo Mary-Jane surgiu no século 19 como um modelo exclusivamente feito para crianças, especialmente as meninas.

O que o define é a alça no peito do pé, tradicionalmente ligando um lado ao outro com um fecho de botão.

O modelo evoluiu e passou a ser usado também por mulheres adultas e foi um verdadeiro sucesso nos anos 1990 e começo dos anos 2000 em subculturas como o estilo gótico e Lolita.

Atualmente, os calçados se adaptam a todo tipo de ocasião e ganham um viés mais sexy por causa da alça extra.

Com ou sem salto, vale optar pelo modelo que melhor se adapte ao seu estilo e rotina.