Jardim Dior

A relação entre a Dior e as flores

Dior adorava e se inspirava nos jardins.
Tanto que sua coleção mais famosa, o “New Look”, era influenciada pelo desenho das flores e o nome original era Ligne Corolle (Linha Corola),
Foi em Granville, nos jardins da propriedade à beira mar de seus pais, que Christian Dior adquiriu sua cultura floral.
Ele pôs as mãos na terra e criou arranjos capazes de se integrar ao faraônico canteiro botânico de sua mãe.
Para homenagear o criador o cenário dos desfiles é decorado com flores.
Abra a matéria e se deslumbre com a atmosfera luxuosa da grife. Imagino o cheiro de flores no ambiente do desfile.

dior jardin

 

Momentos das pétalas em cena nos desfiles

A nova diretora criativa, a sétima couturier à frente da casa, Maria Grazia Chiuri, ex-Valentino, dá continuidade a um legado deixado por estilistas de prestígio como Raf Simons, John Galliano, Karl Langerfeld e até Yves Saint Laurent.

Em comum, eles tiveram sempre o mesmo respeito às heranças do próprio Christian Dior: desde as incansáveis reinvenções da bar jacket – peça icônica da maison – até os escarpins – como o Dioressence.

Universo das flores

Uma das tradições da casa é a de sempre olhar para o universo das flores antes de pensar uma coleção.

Por isso, tanto em cenários como em roupas, as pétalas estiveram presentes nesses últimos anos de Dior.

Flores na passarela

Verão 2016

O belga Raf Simons impôs “tranquilidade” – palavra-chave daquela temporada, para o décor do desfile, erguendo montes cobertos de lavanda no espaço do desfile. Imagine o perfume!

Inverno 2014

A ideia do estilista era levar a fila A para uma viagem pelo espaço sideral. Para isto criou criou uma passarela circular com paredes de espelho decoradas com orquídeas brancas.

As flores serviam para lembrar que – mesmo em um ambiente totalmente futurista – este era um desfile da maison Dior.

Verão 2014

Aqui, as flores inspiraram a apresentação do começo ao fim.

Cada peça parece fazer alusão a natureza de alguma forma.

A apresentação rolou no meio a um jardim  tropical, em uma profusão de estampas,contrapondo as peças de alfaiataria reconstruídas.

Inverno 2012

Na estréia Raf Simons  modernizou os shapes tradicionais e o desfile aconteceu em salas que tinham paredes forradas de flores.

Cada um dos espaços com uma espécie diferente delas e outro com um mix multicolorido.

Inverno 2010

Coleção 100% inspirada na cor e nas formas das flores para o inverno.

John Galliano criou casacos, luvas, máscaras de plástico, color blocking, sapatos com tiras de couro que pareciam ramos de plantas.

Inverno 2009 e verão 2010

Diferente de Simons, Galliano ficou conhecido pela extravagância e espetáculo em suas criações.

Nas apresentações mais intimistas – desfiladas no próprio ateliê da Dior em Paris – a relação com o floral ficou mais evidente com arranjos enormes adornando salões.