Como usar chapéus

Todas as mulheres acham emocionante usar  chapéus.

Talvez por lembrar o clima romântico dos filmes antigos, a sofisticação de cerimônias sociais ou simplesmente por enfeitar o rosto como uma moldura.

Eles também protegem do sol e do frio, e cabeça quente evita resfriados irradiando calor para todo corpo.

Então que mistério terá o chapéu que mesmo com tantos atributos, poucas têm a coragem de adotar, longe da praia ou casamentos a luz do dia.

É fácil explicar: os chapéus marcam presença forte e por não fazer parte da do figurino atual, acabam parecendo extravagantes.

A moda também não colabora. Geralmente os chapéus são mostrados como elementos sofisticados ou acessórios para pontuar alguma inspiração retrô.

O desafio de usa-los no dia á dia é desfrutar de tudo que oferecem, sem parecer personagem de história em quadrinhos, filme de época ou programa humorístico.

O chapéu ideal

Acertar o modelo começa na hora da escolha.

  • Não receba a Greta Garbo e seus chapelões desabados, ao escolher o modelo adequado. Usar um chapéu ou gorro escandaloso é pedir para que notem o acessório.
  • O chapéu tem tanto senso de humor quanto formalidade. Podem vestir sublimes ou no descuido, parecer caricato.
  • Em primeiro lugar o tamanho do rosto e do corpo é importante.
  • Rostos graúdos e corpo pesado não combinam com chapeuzinhos pequenos ou gorros e boinas apertados. Caras miúdas somem se o acessório é muito vistoso. Para um perfeito equilíbrio, bom senso e prova em frente do espelho ainda é a melhor receita.
  • Não tente combinar o chapéu com a roupa. Vai parecer figurino da Rainha da Inglaterra. Eles funcionam melhor como ponto de contraste nas cores ou texturas com o que se veste. Para uma ocasião elegante é importante provar a roupa com o chapéu para sentir o efeito total.
  • Contraste também com o formato de rosto: formas arredondadas suavizam traços angulosos e os modelos geométricos favorecem o rosto redondo.
  • Quanto mais casual o chapéu, melhor o efeito. Nada que pareça ter levado uma hora na frente do espelho, mesmo que este tempo tenha sido gasto. Simplicidade é o recado.
  • A melhor cor vai depender de cada pessoa. Para quem não quer o chapéu como destaque, a cor próxima do tom do cabelo, chama menos atenção e combina com todas as roupas.
  • Os neutros também garantem menos notoriedade: castanhos, cinzas, beges queimados, cores nos tons de pele e das peles (o marrom do Vison, os cinzas e castanhos da raposa ou acinzentados da chinchila) chamam menos atenção.
  • Chapéus com abas ficam melhor em cabelos curtos, médios ou presos. Modelagens sem aba como as boinas podem ser usados com cabelos longos e soltos.

Acessórios que transformam o visual

O chapéu é um elemento tão expressivo que ajuda a dar personalidade a personagens fictícios.

Transferindo para a vida real, os chapéus tanto podem criar um toque pessoal, ou como no cinema, criar personagens que muitas vezes não tem a ver com o protagonista.

  • O que seria de Harrison Ford sem o chapéu gasto pelas aventuras “Em busca da arca perdida”.
  • O final do filme “Casablanca” não teria o mesmo impacto se Humphrey Bogard e Ingrid Bergman não estivessem usando chapéus. Mesmo sem sentido (era noite, e chuvosa) acrescentou um toque de dramaticidade na cena.
  • Greta Garbo não interpretaria o ar misterioso sem os chapéus desabados. 

Como usar o chapéu de acordo

Chapéu de festa

Recomendação dos especialistas em etiqueta social, é que os chapéus de festa devem ser usados somente enquanto o sol estiver dando o ar de sua graça. À noite o bom senso recomenda casquetes ou pequenos enfeites de cabeça, mas é comum ver, em casamentos sofisticados, um cortejo usando abas largas de crinol transparente e chapéus de grande efeito. O que também é correto, desde que todas as madrinhas estejam de chapéu.

Algumas sugestões para tirar proveito dos chapéus nas festas:

  • Combine a cor do sapato e da roupa e quebre a monotonia com um chapéu de cor contrastante. Usando vestido de cor neutra, o chapéu pode combinar com a bolsa e até ser feito no mesmo material.
  • Diferente dos chapéus de praia informais, os de festa precisam ser enformados por um chapeleiro e ter um detalhe a mais.
  • A colocação do chapéu é detalhe importante: se estiver muito caído para frente, ele reduz e destaca as feições. Muito para trás, cria um ar despreocupado. Uma ligeira inclinação para o lado deixa o visual mais jovem. Mulheres que usam óculos podem estabelecer um ponto de atenção nas abas, desviando a atenção da linha dos olhos.

Chapéu de Praia

  • Escolha cores discretas ou tostadas e pegue leve nos enfeites. Tons naturais da palha, terrosos, azuis ou tons claros, além da cor do cabelo, são os recomendados.
  • Ao usar chapéu, reduza as bijuterias ao máximo. Óculos escuros e um brinco pequeno são suficientes.
  • Os materiais podem ser palha fina, tecido ou crinol. Um lenço envolvido na copa pode dar um charme extra, mas cuide para que as cores não briguem com as da roupa de banho.
  • O chapéu não pode esconder o rosto. Os cabelos compridos devem ser colocados para trás das orelhas ou ficarem presos. Cabelos armados devem ser presos, parcial ou totalmente.
  • Apesar de o chapéu proteger o rosto do sol, o filtro solar continua sendo imprescindível.
  • Modelos de abas médias e arredondadas combinam com qualquer físico.
  • Loiras e ruivas devem evitar chapéus claros. Morenas e negras podem usar qualquer cor. Fique longe do preto, que esquenta a cabeça e confere um ar muito formal ao seu visual.

Chapéu na cidade

Entre os anos 1920 e 1940, uma mulher “de família” jamais ousaria enfrentar as ruas sem chapéu. A popularização do laquê e uma nova postura feminina acabaram com a escravidão. Usar chapéu na cidade pode ser divertido. Diane Keaton ficou famosa da noite para o dia depois do filme “Annie Hall”, em que se vestia de maneira inovadora, usando chapéus desabados.

Se você resolver encarar o chapéu, aprenda algumas regrinhas preciosas:

  • Chapéus de abas largas só devem ser usados de dia, até o pôr-do-sol. Roupas formais, como blazer e tailleur, pedem abas menores. Os modelos indicados para roupas esportivas são os mesmos que se usa na praia ou então os chapéus de estilo masculino.
  • Evite materiais inadequados ao clima, como palha no inverno e feltro no verão, materiais transparentes e enfeites de conchas na cidade.
  • Não é obrigatório tirar o chapéu em ambientes fechados, mas você pode tirá-lo em ambientes onde vai permanecer durante muito tempo, como no trabalho. Tire o chapéu em ambiente que permita uma “geral” nos cabelos.
  • Ao tirar o chapéu em restaurantes, coloque-o em cima da bolsa. No cinema ou no teatro, conserve-o no colo, já que poucos lugares mantêm serviço de chapelaria.
  • Evite chapéus em reuniões de trabalho e a distribuição de beijinhos e abraços com abas incômodas.

 Para cada cabeça uma sentença

  • Mulheres altas e magras podem usar todos os modelos, mas as baixinhas alongam com abas e copas pequenas. Mulheres volumosas harmonizam a silhueta com copa redonda e abas médias.
  • Os chapéus de copa baixa e aba reta vestem bem as mulheres que têm rosto fino e longo.
  • Modelos com copas mais altas, de preferência com aba levantada em um dos lados, ou no estilo masculino criam ângulos para o rosto redondo.
  • Caras retangulares e quadradas ficam bem com todos os modelos.
  • Mulheres de rosto largo devem evitar as copas altas.
  • Abas exageradas são só para mulheres altas – baixinhas e graúdas têm que se contentar com abas moderadas, no tamanho adequado ao volume do corpo.